Informação sobre raiva, causas, sintomas e tratamento da raiva, identificando seu diagnóstico e as formas de transmissão, abordando a raiva em diversos animais, como o cão e contribuindo com dicas para irradicação deste problema de saúde.


terça-feira, 5 de agosto de 2014

Raiva, um problema de saúde pública

A raiva é um problema de saúde pública reconhecido há mais de 4000 anos. Nos últimos milénios da humanidade, a raiva tem preocupado e intimidado as pessoas, talvez porque seja uma doença relacionada com um contato doloroso com um animal furioso, ou talvez porque esta doença possa transformar um animal, bom companheiro, num animal agressivo e imprevisível. Mas a causa raiz desse medo é certamente o facto de que a raiva é fatal. Dependendo do ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica a raiva no décimo ou décimo primeiro lugar no que diz respeito à mortalidade por todas as doenças infeciosas conhecidas, no mundo.
Distribuição de raiva humana reflete a distribuição da raiva animal, particularmente a raiva canina. Hoje, nos países em desenvolvimento, principalmente os localizados em África, Ásia e no subcontinente Índiano, a raiva canina é comum; e os cães são responsáveis por 95 a 98% dos casos de raiva humana. Nos países industrializados, onde a raiva canina é controlada, como no Canadá e nos Estados Unidos, os animais selvagens, como raposas, guaxinins, gambás e morcegos são reservatórios do virus da raiva.
A América do Norte, de acordo com as recomendações da OMS, implementou sistemas de monitoramento para observar a evolução da raiva.
Apesar de seu baixo impacto sobre esta parte do continente, a raiva humana e animal continua a ser uma preocupação constante para as autoridades. Sempre que uma pessoa é mordida por um animal selvagem ou doméstico, deve ser considerado como correndo risco de transmissão da raiva. Isto representa uma carga de trabalho importante para as partes interessadas de saúde. Alguns autores acreditam que um em dois norte-americanos será mordido por um animal pelo menos uma vez durante sua vida.
Desde os anos 90, na América do Norte, o morcego é o animal que tem desempenhado o papel mais importante na transmissão da doença para o Homem. A maior parte dos casos de raiva humana não foram associados a variantes de raiva em morcegos encontrados.

POSTAGENS POPULARES
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL